cope-1 COPENHAGEN: o portal de entrada da Escandinávia
Se existe um cantinho da Europa que muita gente deixa pra depois, esse lugar é a Escandinávia. A região conhecida mundialmente pelo frio e por seus fiordes, reserva lindas surpresas pra quem decide ir até lá.

Dos países escandinavos, o meu preferido é a Dinamarca. A capital, Copenhagen, é a porta de entrada da região e revela grande talento para o turismo. Tem tanta coisa bacana pra ver que vou tentar organizar as dicas. Mas tá difícil!

O primeiro impacto que temos ao desembarcar em København é com a língua. Pra quem nunca pisou lá ou na Suécia, a língua soa como um “alemão querendo vomitar”. É muito estranho. Mas você não vai sofrer muito porque por ali a maioria das pessoas fala bem o Inglês.

O CENTRO DA CIDADE

cope-7

A cidade é bem tranquila para se caminhar. O centro tem praças lindas e sugiro que o primeiro dia de passeio comece em uma delas: Rädhuspladsen (a praça da prefeitura). Ali você vê uma torre (que pode ser visitada), museus interessantes e uma infinidade de lojas. É aqui você vai se sentir em Copenhagen, é como se fosse a Times Square dali. Nesta praça você também vai avistar o Tivoli, o primeiro parque de diversões do mundo! Que continua em atividade e reserva boas surpresas pra quem gosta desse tipo de atração.

cope-2

Partindo desta praça, pegue a Strøget, famosa rua comercial da cidade. Ali você vai ver lindas lojas em prédios bem interessantes. Quando estiver por lá, pergunte sobre Rundetårn, uma torre construída pelo rei Christian IV que queria ver as estrelas, mas queria poder subir até o alto a cavalo. Você vai ter uma linda visão da cidade.

cope-6

Invariavelmente, você vai cair em Nyhavn. A zona portuária que foi revitalizada e hoje abriga restaurantes e bares que são uma delícia. Imagine Puerto Madero x100 + Vikings. É esse lugar! Lindo e, caso esteja disposto a gastar, excelente para tomar uma cerveja e comer comidinhas típicas do país (eles tem uns sanduíches abertos de salmão que são um sucesso!).

cope-5

Você conhece Hans Christian Andersen? Se responder que não, está mentindo. Se nunca ouviu o nome, é porque não prestou atenção na capa dos livros que você leu na infância. São de autoria do dinamarquês clássicos mundiais da literatura infantil, como A Pequena Sereia, O Soldadinho de Chumbo e O Patinho Feio. O país venera seu cidadão mais famoso na história e você vai conseguir ver isso cidade afora. Uma das principais avenidas da cidade leva seu nome, vez ou outra você vai trombar com uma estátua dele. Um ponto que dizem ser obrigatório é a visita a estátua da pequena sereia que fica em Langelinie. A estátua é pequena e não reserva grandes emoções, mas compensa ir até lá para depois dar uma volta em Kastellet, antiga região militar, que guarda canhões e lindas paisagens. Vale muito a pena!

cope-4
Você está em uma monarquia, portanto saber onde fica a casa da realeza parece ser uma boa opção de passeio. Se apostar nessa, vai se dar bem. Amalienborg é a residência oficial dos monarcas, é um conjunto de construções que cerca uma linda praça, onde ocorrem a troca da guarda e fica bem próximo a catedral da cidade. Obviamente, visita recomendada.

OS CASTELOS

Estamos em terras vikings. Reis aqui existem desde sempre e a rainha continua seu reinado tranquilamente. Portando, aguarde surpresas com os castelos que vai visitar. O estilo, apesar de exagerado, é mais comedido que o visto na França e impressiona muito.

cope-3

Indico a visita a dois castelos importantes: Rosenborg Slot (acima) e Frederiksborg Slot (abaixo). O primeiro, fica dentro de um parque (Rosenborg Haver) e tem em seu interior um museu, onde uma das principais atrações são as jóias da família real dinamarquesa. A construção é impressionante e o parque nos arredores merece uma caminhada.

cope-8

O segundo castelo, Frederiksborg Slot, fica um pouco mais isolado e é hoje o principal palácio museu do país. A imponência e os jardins são de tirar o fôlego. O castelo foi utilizado para coroações dos monarcas e abriga vasta coleção de arte. Vale a visita tanto pela construção quanto pela mostra de arte e pela capela. As caminhadas nos arredores são deliciosas, o clima é calmo e em uma das visitas que fiz ao lugar me lembrei muito da infância. Você se lembra daqueles quebra-cabeças com 10 mil peças? Que nos anos 80 as pessoas montavam e mandavam enquadrar? Este castelo é figura comum desses puzzels! Se você bater o olho, vai se lembrar na hora. Uma curiosidade sobre o lugar é que a fonte que fica em frente a entrada principal do castelo é uma réplica. A original foi tirada dali durante uma invasão sueca e hoje está no país vizinho.

O QUE MAIS CONHECER

Eu poderia transformar este post em um livro. Mas como a intenção é tentar te mostrar que é um destino possível, acabei deixando algumas coisas de fora. A cidade tem museus do Guinness Book, Believe it or Not, o distrito independente de Cristiania, as casinhas miniatura de veraneio, você tem que tomar as cervejas Tubørg e Carlsberg, zapear pelos poucos mercadinhos china town, dar uma volta no metrô (que é totalmente automatizado, sem maquinista).

MAS COPENHAGEN É UMA CIDADE CARA

 

É verdade. A cidade está acima da média dos destinos europeus. Mas você tem que pensar que ser caro não é igual a ser inacessível. Você vai conseguir se deliciar com as comidas típicas do país, comer as deliciosos confeitos dinamarqueses (Danish Pastries) e beber boas cervejas sem ter que vender um rim. Pode ir, que você e seu cartão de crédito vão sobreviver. A cidade é cara, mas nada que assuste comparado a Londres, Dublin ou Paris.

FICA LONGE DEMAIS

Depois que inventaram o avião, tudo é pertinho. A cidade fica a uma hora, uma hora e meia de vôo das principais capitais européias. Vale o esforço pra visitar. Uma sugestão de férias é fazer um combo escandinavo, visitando Dinamarca + Suécia. Fiz isso uma vez e não me arrependi.

DINAMARCA É SÓ COPENHAGEN?

Que nada. Lembra quando falei da história de fazer turismo vivendo o lugar? Pois é. O interior da Dinamarca é bem isso. Certa vez despenquei por lá e fiquei 1 mês morando em uma cidadezinha chamada Frederiksværk. Minúscula, com seis mil habitantes. Mas que tem uma vibe excelente, com praias calmas por perto, florestas típicas, casinhas com teto de palha que parecem ter saído dos livros de conto de fadas. Valeu muito o tempo e, caso decida fazer isso, o país todo é quase do tamanho do Triângulo Mineiro. Tudo é perto!

DE COPENHAGEN DÁ PRA IR PRA SUÉCIA DE FORMA RÁPIDA?

Se sua ideia é dar uma olhada rápida na Suécia, você pode ir a Malmö de trem. Essa é uma cidade que fica pertinho de Copenhagen e rola uma visita bacaninha. Caso esteja com mais grana e queira um dia todo diferente, pegue um vôo pra Estocolmo (volto a falar dessa cidade depois, merece um super post!).

ENFIM…

A Dinamarca é um país pequeno, mas cheio de coisas lindas pra se ver. A capital é uma bom destino para se entender o país, mas um giro com mais calma pelas pequenas vilas são uma viagem a parte que merece ser pensada. Eu sou suspeito pra falar, tenho grandes amigos daquele lugar e este foi o primeiro país que conheci na Europa. Indico, recomendo e tenho certeza que você vai adorar.

Boa viagem!

Deixe aqui seu comentário