moch-1 Guia definitivo para planejar um mochilão pela Europa

Com o câmbio amigável, vôos diretos e cada vez mais possibilidades, todo dia alguém decide realizar um plano antigo: mochilar pela Europa. A ideia do post é esclarecer dúvidas, mostrar caminhos, destruir mitos e mostrar que é possível ver muito mais gastando muito pouco. Este primeiro post vou ajudar você a planejar sua viagem de acordo com minhas experiências. Tenho um perfil de viajante sem frescura, mas que também não quer acabar com a viagem ao errar na hospedagem ou caindo em micagens turísticas.

Tem como fazer uma trip legal pra Europa gastando menos do que você imagina. E eu vou te ajudar nisso. Vamos lá?

1. Por onde começar o planejamento de uma viagem a Europa?

moch-2

Parace óbvio, mas muitas pessoas não abrem os olhos pra isso. A primeira coisa é abrir o mapa e olhar quais países e cidades você quer conhecer. Para montar seu roteiro, o ideal talvez nem seja escolher países próximos um do outro e sim países conectados por empresas aéreas de baixo custo. Com 1 hora de vôo e pagando pouco, qualquer lugar fica perto. Portando, não se prenda necessariamente a proximidade dos lugares e sim ao custo e tempo que você terá para se locomover. Em um mochilão, você pode começar a viagem em Berlim e terminar em Lisboa gastando menos do que um giro de trem pela Itália, por exemplo.

2. Preciso de visto?

moch-3

Ao contrário do que muita gente pensa, brasileiros não precisam de visto para entrar na maior parte dos países europeus. Os países que fazem parte do Tratado de Schengen (Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Finlândia, França, Grécia, Islândia, Itália, Luxemburgo, Holanda, Noruega, Áustria, Portugal, Espanha e Suécia) permitem a entrada de brasileiros sem a necessidade de vistos, mas isso não quer dizer que as portas estão tão abertas assim. Você precisa comprovar onde vai se hospedar, possuir €25 por cada dia que vai ficar e um seguro viagem. Isso é o que diz a lei, mas nunca me solicitaram o tal seguro nem a comprovação de renda para os dias. Em todas as viagens estava eu com meu ticket de volta e os Euros para passar os dias, mas nunca fui com o seguro. Vai de cada um tomar essa decisão. O fato é: se suas intenções são boas, pode ir tranquilo, o agente de imigração de qualquer um destes países vai perceber e te dar sinal verde para as férias. Um detalhe que alguns ainda não sabem é que quando você passa pela imigração de um destes países e depois viaja para outro que também está no tratado, não precisa mais passar por imigração. Os desembarques dos vôos entre estes países funcionam como vôos domésticos. Veja aqui mais informações sobre seguro.

3. Partindo do Brasil, onde desembarcar?

moch-4
Segundo o princípio de gastar menos para viajar mais, a sugestão é sempre escolher um destino que tenha vôo direto saindo do Brasil. Por exemplo, se você quer ir para Praga na República Tcheca, talvez seja melhor pegar um vôo direto São Paulo / Londres, conhecer a capital inglesa e só depois pegar um vôo para seu destino dos sonhos. Você gasta menos com avião e conhece 2 lugares. Você pode também marcar um ticket com desembarque em uma cidade e embarque de volta em outra, portando pode pensar em um roteiro que comece em uma cidade com desembarque direto e termine em outra que também tenha vôos diretos.

4. Qual empresa aérea é mais barata para se chegar a Europa?

moch-5

Normalmente as gringas são as que oferecem melhores preços. O serviço acaba sendo um pouco pior, mas nada que não compense. Normalmente, o que você economiza pode ser o suficiente para fazer um outro vôo dentro da Europa. Empresas que já voei e não me arrependi foram Swiss (Zurich), KLM (Amsterdã) e Ibéria (Madri). Uma sugestão que dou é fazer duas cotações: online e outra em agências de turismo. Na web você pode correr no www.expedia.com, ele faz o comparativo de várias empresas aéreas e vai te mostrar um bom preço. Normalmente, o preço empata. Eu prefiro o conforto da agência de viagens fechando o ticket pra mim.

Expedia: www.expedia.com

 

5. Dólar ou Euro?

moch-8

Já passou o tempo onde viajar com dólares era o jeito mais prático de se levar dinheiro ao exterior. Vai pra Europa? Leve Euros. Sem sofrimento ou sustos com mudanças cambiais.

6. Traveller checks?

moch--7
Esqueça os antigos traveller checks, vá de Cash Passport. É um cartão com a bandeira Visa que você usa em qualquer estabelecimento que aceite a bandeira. Você recarrega no Brasil com euros e pode pagar suas despesas ou fazer saques em caixas eletrônicos no mundo todo. Custa bem barato e a segurança é indiscutivelmente maior que viajar com dinheiro em espécie. Lembre-se de levar seu extrato do cartão para comprovar na imigração que você tem a grana para passar os tempos de férias por lá. Além do cartão, leve alguns Euros em espécie. 100 ou 200 Euros é o suficiente para emergências. Obviamente, leve seus cartões de crédito internacionais, eles serão úteis em compras maiores, free shops e etc.

7. Quantos euros eu levo?

moch-6
Resposta difícil. Depende do seu estilo de viagem. Como o mínimo todo mundo precisa, vamos pensar no básico para sobrevivência com felicidade, sem privações sérias. Em uma cidade cara da Europa, tipo Dublin ou Londres, uma cerveja custa €5 ou €7. Consegue comprar um fish’n chips por €15. Se ficar em hostel, pode economizar jantando por lá mesmo ao fazer compras em supermercados. Em resumo, se for pra sobreviver, incluindo comida, transporte público (esqueça os taxis, é bem mais divertido andar de metrô ou trams) e algumas entradas em museus, reserve €100 por dia. Vai ser suficiente e se você souber gastar, ainda dá pra extrapolar num pub. Uma observação importante a ser feita: em Portugal, na Espanha e na Itália come-se muito bem gastando menos. Escolha os menus do dia, que vêm completos com bebida, entrada e prato principal por uma média €9.

8. O que eu levo na bagagem?

moch-9
A dúvida é antiga e a resposta simples. Comece pela estação do ano que você vai estar e se adeque aos tipos de roupa. O que um viajante que quer gastar menos tem que pensar é que, cedo ou tarde, vai andar de transporte público ou voar de empresa aérea de baixo custo. A questão simples da vida é: leve pouca coisa e um volume só. Você vai gastar menos para despachar as malas (você paga por cada mala despachada nos vôos de empresas aéreas de baixo custo, por volta de €30 por mala). E tem mais uma, pouca roupa é sinal de que vai precisar ir a uma lavanderia. Fique tranquilo, você vai adorar a vibe das auto service laundries, se sente dentro de um filme e ainda por cima conhece algumas pessoas da cidade. Dá pra brincar de ser um local.

9. Onde me hospedar gastando pouco sem passar raiva?

moch-10
Quando viajo sozinho, não penso duas vezes: fico em hostel. O conceito de albergue é ainda bem nebuloso pra quem nunca saiu do Brasil. O fato é que sabendo escolher o albergue, você vai se dar muito bem. Já fiquei em um albergue na Itália que era praticamente um hotel, com direito a computador no quarto. A vantagem deste tipo de lugar é que a equipe que trabalha lá sempre está disposta a ajudar, com dicas da cidade, onde comer e onde gastar menos. Nesses lugares você conhece gente do mundo todo. É bem divertido! Você pode ficar em um quarto onde divide o espaço com pessoas que não conhece (custa bem barato!) ou pegar um quarto privativo, que tem uma vibe mais hotel, mas mesmo assim você ainda tem as vantagens da staff do hotel e das pessoas que frequentam.

10. Como escolher um albergue?

O jeito mais confiável é fazendo parte da comunidade Hostel World. Lá você vê as especificações, preços e disponibilidade de mais de 24 mil albergues no mundo inteiro. Mas a principal vantagem desse site é que quem se hospeda no albergue dá sua opinião na sequência e essas opiniões viram notas. Vá nos “top rated”, leia comentários e faça sua reserva. Assim você evita surpresas! Na Europa os preços de hospedagem variam muito. Você gasta de €25 a €40 na maioria das capitais em um quarto shared.

11. Cheguei, como faço pra ir do aeroporto pro hotel/hostel?

moch-11
Se você é uma pessoa do luxo e preço não é problema, se joga no taxi. Definitivamente não existe melhor meio de transporte no mundo do que um carro com ar ligado que te deixa na porta! Tá, acorda. Um taxi vai ser caro e, se o objetivo for viajar mais por menos, esqueça dele por enquanto. Mas não precisa achar que será um sofrimento chegar no seu local de hospedagem. Lembre-se: a Europa é luxo! Vai dar tudo certo mesmo você andando de transporte público. Todos os aeroportos são ligados aos centros das cidade via metrô, trens ou linhas de ônibus. Você acha fácil e sem sofrimento. Se estiver desembarcando em aeroportos de cidades vizinhas, compre os tickets dos ônibus que fazem ligação com a cidade destino, eles normalmente te deixam em uma estação de ônibus onde é fácil encontrar um metrô ou tram (empresas low-cost quase sempre te deixam um pouco distante da cidade destino. Ex.: Se for para Barcelona voando Ryanair, você vai descer na cidade de Girona, que fica a 1 hora de Barcelona).

12. Como viajar dentro da Europa? Vou de trem?

moch-12
Esqueça o sonho dourado de viajar de trem pela Europa. É cansativo, você perde tempo e custa caro. Confesso que ao iniciar o planejamento do meu primeiro mochilão estava achando que passaria noites em trens cruzando a Alemanha. Bobagem! Você está no berço das companhias aéreas de baixo custo, o modelo surgiu ali e a concorrência é um sucesso. Já voei para Glasgow na Escócia pagando €1 no ticket. Isso mesmo, 1 eurinho eu fui e com mais 1 eurinho eu voltei. Fala que não é lindo isso? Encontrar as promoções depende de antecedência e planejamento. Eu sempre organizei minhas viagens pensando nas cidades que são ligadas por essas empresas. Vamos a alguns liks pra você encontrar passagens baratas pra rodar tudo sem dormir em trens ou passar muita raiva. Lembre-se que neste preço não está incluido a bagagem despachada. Se sua mala for pequena, pode ser que eles aceitem transportar dentro da cabine, que é de graça. Em Londres tudo se complica porque a segurança é mais chata. Tenha como certo que sua bagagem terá que ser despachada e some este custo ao da passagem. Abaixo as duas cias que mais utilizei e um link com 40 dessas cias.
  • . Ryanair – maior cia low cost low fare. Tem como base a Irlanda, mas voa a Europa toda. O site é horroroso, mas pode confiar, sem medo de ser feliz. Os aviões são boeings novinhos. www.ryanair.com
  • . EasyJet – vai longe, os aviões são muito modernos. Tem como base a Inglaterra. www.easyjet.comVeja mais companhias aéreas neste link aqui.

13. Algo mais que preciso saber?

Vamos a poucos tópicos que são importantes pra quem viaja pra qualquer lugar:

  • . Pesquise antes como chegar ao seu local de hospedagem
  • . Descubra a rota aeroporto-hotel/hostel
  • . Pesquise o que fazer na cidade antes, não perca tempo, chegue e já vá explorar
  • . Imprima todos seus vouchers, reservas e tickets e coloque em um único envelope
  • . Confira a validade do seu passaporte
  • . Informe seu cartão de crédito que vai ficar fora, assim eles não bloqueiam por motivos de segurança

Enfim, este foi o post pra começar o planejamento. O blog está cheio de dicas para os mais variados destinos, dá uma olhada no mapa na base da página e boa viagem!

Deixe aqui seu comentário