Imagem_Post_SealBag Dica: saiba no desembarque se sua mala foi violada

Ninguém espera ter problemas com bagagem, mas eles acontecem com maior frequencia que você imagina e o melhor é evitar, certo? Existem algumas alternativas para dificultar a violação de suas malas. Uma famosa (e que eu sempre uso!) é o envelopamento da mala com plástico minutos antes de despachá-la. Custa de 25 reais a 20 dólares e, além de evitar abertura indesejada, protege a mala. A desvantagem é desembolsar essa grana a cada vôo. O cadeado é bem famoso também, mas é o mais fácil de ser burlado no “golpe da cesárea” – adoro esse nome!

A forma como o golpe é aplicado é bem simples: sujeito abre o zíper com uma caneta bic, tem acesso a sua mala, retira o que quiser dela e depois, mexendo o fecho do zíper de um lado pro outro, consegue fechar novamente como se nada tivesse acontecido. O cadeado fica intacto. O problema é que muita gente descobre que teve a mala aberta só quando chega em casa e aí já é tarde demais. Afinal, as companhias aéreas só são obrigadas a aceitar esse tipo de reclamação quando são feitas dentro da sala de desembarque.

Recebemos hoje uma amostra do SealBag, um lacre personalizado que busca evitar esse tipo de violação. Achei a proposta interessante porque o lacre fecha o zíper e faz com que ele fique preso a alça da mala. Isso quer dizer que sua bagagem ainda pode ser aberta, mas você vai perceber a fraude assim que tiver contato com ela, já que não será possível que ela seja fechada novamente sem a remoção do lacre. Qual a vantagem dele se sua mala ainda pode ser aberta? Torná-la um alvo mais complicado. Pode ter certeza que qualquer um destes golpistas vai preferir uma mala sem nenhum tipo de lacre do que a de um passageiro atendo a este tipo de problema.

Recebemos vários destes e eles serão nossos novos companheiros de viagem.

Post_SealBag

ERRATA: hoje o pessoal da SealBag me informou que o nome no lacre é uma ação que fizeram pro Rumo ao Desconhecido. Os lacres vendidos serão entregues numerados certinho, mas sem o nome. O que não muda em nada a segurança do lacre, né?

Deixe aqui seu comentário