BH-3 BELO HORIZONTE: fazer turismo aqui é viver a cidade
Já parou pra pensar que quando alguém diz que vai fazer turismo isso pode ter qualquer significado? Outro dia fiquei sabendo da história de um motorista que, quando sai de férias, pede carona no jatinho do chefe. Se o avião vai pro Piauí, ele entra. Se vai pra Tocantins, entra também. Pra ele, passar os dias em terras calmas e sem ninguém incomodar é uma excelente opção para as férias.

Os destinos mais famosos pelas atrações turísticas são na verdade lugares onde os roteiros pré-existem e tudo fica mais fácil. Eu sou adepto de uma modalidade de turismo que é aquela em que se vive a cidade. Se você encara um destino assim, vai acabar descobrindo que cidades pouco turísticas são na verdade destinos deliciosos pra se viver momentos divertidos. Sou fã incondicional de duas cidades sem muito dom para o turismo: Belo Horizonte e São Paulo. Mas o post de hoje é pra falar da capital mineira.

A relação dos mineiros com BH é muito diferente dependendo da região do Estado. No Triângulo Mineiro, por exemplo,você consegue encontrar pessoas que nunca pisaram na capital sequer uma vez na vida, mas vão sempre ao Rio. As pessoas pensam que a cidade é chata e não tem o que fazer. Isso é o mesmo que dizer que São Paulo só serve para trabalhar.

Como falei anteriormente, Belo Horizonte tem o perfil de turismo onde a onda é viver a cidade. Os tipos de roteiro variam muito. Quando estou por lá, costumo me guiar pelo estômago. Vou onde tem a melhor comida! Apesar de ser uma metrópole, com excelentes restaurantes, lojas caras e uma infinidade de shoppings, prefiro o lado mineiro interiorano da cidade. Meus roteiros são sempre em restaurantes mineiros, botecos de esquina e baladas. A cidade é gostosa e tem uma magia engraçada, você pode estar andando em uma via caoticamente movimentada e, ao virar a esquina, se sentir em uma cidadezinha calma e verde.

TÁ, MAS O QUE EU FAÇO LÁ?

Vá bater perna! A cidade tem lindas praças no centro, o Palácio e a praça da Liberdade (que agora está rodeada de museus), as delícias do Mercado Central, o Espaço Cultural, as construções na Lagoa da Pampulha, o Mineirão… mas olha, nada supera os botecos. Isso é uma coisa que o pessoal de BH sabe fazer como ninguém. Mas não pense que vai encontrar somente botecos de esquina, tem muito bar/balada fantasiado de boteco. Uma dica que você não pode se esquecer é: peça uma cachacinha mineira pra acompanhar a cerveja e a costelinha de porco.

ONDE FICAM ESSES BARES E BALADAS?

Sem medo de ser feliz, dê uma volta pela Savassi e por Lourdes. Não vai ter erro! Você acabar esbarrando com um barzinho legal pra sentar.

VOCÊ RECOMENDA UM BOTECO EM ESPECIAL?

BH-2

Sim! Imagine tomar uma cerveja ou um vinho escutando jazz em um bar que é uma livraria. Isso  você encontra no Café com Letras na Savassi (Rua Antônio Albuquerque, 781). O lugar é frequentado por gente de cabeça aberta e de bom gosto, sem ser afrescalhado ou cult demais. Além das cervejas e vinhos, experimente também o Café Europeu, o Irish Coffee, o Espaguetini a Carbonara e o Filé com Gorgonzola. É tudo gostoso. Site: www.cafecomletras.com.br

MAIS ALGUM LUGAR?

Dê um pulo no restaurante da Torre Alta Vila em Nova Lima, você vai ter uma visão linda da cidade. Essa torre é em um shopping que não tem muita coisa interessante (tem um Hard Rock Cafe e mais meia dúzia de lojas), mas a vista vale a pena!

QUANTO CUSTA?

Apesar de ser uma cidade grande, a capital de Minas Gerais oferece preços tentadores. Hotéis de primeira linha com preço de interior. Os bares e baladas são uma pechincha pra quem está acostumado com São Paulo, Rio ou Brasília.

Deixe aqui seu comentário